.

segunda-feira, 20 de julho de 2015

Como falar bem em público? Técnicas de Comunicação para Apresentações

O livro “Como falar em público” apresenta técnicas para falar bem diante de um auditório, mostrando que é possível vencer o medo e fazer uma apresentação clara, persuasiva, competente e que gere resultados satisfatórios ao apresentador.

Falar bem em público não é um dom, mas sim uma habilidade que se adquire com prática, treino e aplicação de elementos estratégicos na hora de comunicar.

Para uma boa apresentação é preciso um planejamento, ou seja, toda a sua apresentação, do começo ao fim deve ser planejada nos mínimos detalhes, pois para falar bem, é necessário preparação e ensaio. Ter um plano B também faz parte do planejamento, já que imprevistos ocorrem.


O que é preciso para uma boa apresentação?
1.      Planejamento
2.      Ensaio
3.      Organização de ideias
4.      Persuasão
5.      Empatia
6.      Boa expressão verbal e corporal
7.      Domínio dos recursos audiovisuais
8.      Autopercepção e percepção do ambiente
9.      Comunicação clara e objetiva


Planejamento
            A organização e articulação de uma mensagem objetiva e lógica é a chave de uma apresentação de sucesso, para isso é necessário fazer uma seleção de informações relevantes para o público-alvo. É importante ajustar o conteúdo da mensagem aos objetivos da apresentação e também ao nível de interesse, conhecimento e expectativa dos ouvintes. A relevância depende do conhecimento que o orador tem dos ouvintes, por isso, é fundamental conhecer seu repertório, que bagagem cultural que todas as pessoas possuem, como vivências e experiências afetivas, religiosas, artísticas, conhecimentos científicos, históricos, profissionais e etc.

            Outro ponto importante é a coesão das ideias, ou seja, para uma comunicação efetiva é necessário que a mensagem seja transmitida em uma sequência lógica, para que o público entenda o conteúdo da mensagem.
            O terceiro ponto que deve ser ressaltado é o investimento adequado ao conteúdo e objetivo. É essencial planejar a distribuição do tempo, os argumentos e as informações a serem transmitidas.


Ficha Mental e Ensaio
Ter uma ficha mental é memorizar a sequência da apresentação e elaborar um roteiro a ser seguido, como uma espécie de guia, para que não seja esquecido nenhum item importante. A ficha mental proporciona ao orador segurança, clareza e objetividade, além de uma boa administração das ideias.


Persuasão
            A persuasão é fazer com que os ouvintes possam aderir às ideias da mensagem e comprá-las. Para ter persuasão é importante que o orador tenha convicção, empatia e credibilidade, ou seja, que esteja convicto de suas ideias, que saiba o que o público quer ouvi e que tenha um relacionamento amigável, além de ser um orador respeitável, que saiba o que está dizendo, pois sem credibilidade não há como persuadir.


Fala, expressão corporal e recursos audiovisuais
            Como vimos, o planejamento e a persuasão são dois pontos muito importantes, mas também é preciso analisar outro ponto importante: a competência do orador.


Expressão Verbal
            Tropeços ou ruídos do orador pode comprometer a mensagem, por isso, ter uma boa expressão verbal é fundamental para o sucesso de uma apresentação. Para isso, uma voz mais impostada com boa pronúncia, entusiasmo, expressão facial sorridente e entonação são fundamentais para um clima leve e descontraído.
            Uma fala competente é aquela audível, que combina entonação, produção da voz, pronúncia, ritmo e pausas.


Voz
            O orador deve controlar os movimentos respiratórios a fim de que a expiração predomine, pois é ela que gera o sopro necessário para a produção dos sons, por isso desempenha um papel decisivo para a qualidade da voz.
            Para uma voz audível, o orador deve investir na expiração para impulsionar o volume e altura dos sons. Para um timbre adequado e agradável, é preciso controlar a força da expiração, evitando a perda de fôlego e o excesso de pressão nas cordas vocais.

Entonação
            Uma fala envolvente cria um ambiente afetivo favorável e isto influi na recepção das mensagens, pois conforme o tom da voz, um simples “bom dia” pode conotar amabilidade, polidez, frieza e etc, quem dirá uma apresentação cujo objetivo é persuadir. Para se ter uma ideia, uma entonação pode dar diferentes sentidos a uma frase e tornar um discurso mais dinâmico e atraente. Saiba usar de forma hábil a entonação.


Pronúncia, ritmo e clareza da fala
            A má qualidade da pronúncia pode prejudicar a clareza de uma apresentação e o entendimento dos ouvintes. Falar em público é diferente de falar entre amigos, onde muitas vezes usamos gírias. Na apresentação, a linguagem deve ser disciplinada, clara, nítida e bem articulada.
Dica: Leia textos em voz alta com o objetivo de treinar os movimentos articulatórios.


Ritmo e pausas
            A velocidade das informações deve ser observada, pois pelo fato do orador estar empolgado ou tenso pode prejudicar a apresentação. Se for rápido demais, prejudicará a clareza das informações, e se for muito lento, causará monotonia e cansaço. Para evitar isso, adote pausas para ganhar fôlego e administrar o ritmo.


Expressão Corporal
            A fala depende também da boa expressão corporal. Para uma apresentação eficaz, é necessário estabelecer contato visual, gestos e movimentos, afinal, o corpo também fala e emite mensagens, signos e indícios.


Dicas para uma boa expressão corporal
  1. Manter contato visual com os ouvintes,
  2. Ter uma expressão corporal amigável,
  3. Fazer gestos e movimentos coerentes com a apresentação,
  4. Evitar gestos desordenados,
  5. Não prender as mãos, braços, pernas e pés,
  6. Evitar colocar as mãos nas costas, quadris e bolsos,
  7. Evitar gestos e posturas inconvenientes,
  8. Evitar postura imobilizada,
  9. Não ficar na frente do projetor,
  10. Utilizar caneta laser para a indicação de itens nos slides,
  11.  Utilizar trajes pertinentes à ocasião,
  12.  Articular de modo harmônico e coerente a fala (voz, entonação, pronúncia, gestos, posturas, ritmo e pausas) e também controlar a expressão corporal (contato visual, gestos, posturas, movimentação e vestuário). Além disso, saber usar os recursos audiovisuais é essencial para uma melhor compreensão da mensagem.


Recursos Audiovisuais
            É importante ter em mente que os recursos audiovisuais devem ser apenas um suporte, pois o apresentador e sua mensagem é que são a atração principal. O ideal é evitar um número exagerado de slides, excesso de texto e o exagero nas animações.


- Power Point não é teleprompter
            Os slides devem reforçar a palavra do apresentador e não repeti-las, ou seja, não é uma cola, mas sim em acréscimo visual, por isso, nunca leia os slides!
Dica: Use o recurso de anotações do software e depois imprima, para que tenha um roteiro a ser seguido e que sua apresentação esteja linkada aos slides.


- Cronograma de apresentação
            Os slides devem consumir cerca de 60% a 70% do tempo, a dica é planejar uma média de 2 a 3 minutos por slide. Os outros 30% da apresentação é interessante reservar para possíveis perguntas e interações com o público, ou até mesmo para reparar possíveis falhas técnicas. Veja outros pontos importantes:
  1. Fazer um bom uso das imagens é imprescindível para alcançar a emoção do público. Use aquelas que provoquem respostas emotivas. A dica é usar mais imagens do que texto.
  2. Outro ponto interessante dos slides é harmonizar as cores e os tons, buscando os mais agradáveis aos olhos e ao contexto do assunto da apresentação.
  3. Sempre faça um teste com o projetor para avaliar a qualidade visual dos slides, pois no monitor tudo pode ser diferente.
  4. Apresente textos com tópicos e palavras-chaves. Uma dica é utilizar palavras que provoquem a curiosidade dos ouvintes.
  5. Cuidado com a ortografia: Revise, revise e revise o conteúdo.
  6. Nunca diga em uma apresentação: “Ok, vamos para o próximo slide!” A sequência deve ser natural e costurada. Quem dita a sequência é o ritmo.
  7. Evite o exagero de efeitos especiais e sonoros.
  8. Se for entregar algum material adicional no fim da apresentação, crie um específico contendo dados não explicitados na apresentação, como tabelas, textos e etc.

Apresentação ideal deve conter:
Slides à Para motivar a platéia
Ficha-cola à Com o roteiro da apresentação
Material de Distribuição à Com informações mais detalhadas


Estilo
      Para falar bem com o público é preciso de uma linguagem clara, elegante e correta. Uma linguagem “feia” pode comprometer toda a mensagem da apresentação, por isso, se atente a:
  1. Erros gramaticais,
  2. Falta de clareza,
  3. Uso de linguagem chula,
  4. Emprego correto dos verbos,
  5. Concordância nominal,
  6. Uso de preposições e pronomes,
  7. Erros de pontuação nos slides,
  8. Cuidado com a redundância e pleonasmo.


Receita para falar em público
  1. Planejamento, ficha mental (roteiro de guia) e muito ensaio,
  2. Saber utilizar os recursos audiovisuais,
  3. Ter empatia, persuasão, credibilidade e domínio do assunto a ser apresentado,
  4. Boa expressão verbal e corporal,
  5. Comunicação clara, objetiva e dinâmica.

O livro é de leitura obrigatória para aqueles que possuem dificuldade na hora de organizar e passar as ideias em uma reunião ou apresentação.
Para adquirir o livro, clique aqui.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

Um comentário :

  1. Concordância Nominal!!!

    Já repararam como proliferou o uso do NOME junto com o PRONOME?

    É um tal de falar:
    - "João ele disse"
    - "O deputado Pedro ele falou"

    Isso dói nos meus ouvidos e a maioria das pessoas com quem falo dizem que não repararam...

    ResponderExcluir

Total de visualizações

Copyright © A Personalidade Jurídica ⚖ | Traduzido Por: Mais Template

Design by Anders Noren | Blogger Theme by NewBloggerThemes